Be Ambitious

30 junho 2013

Final de mês é sempre assim, acabo comprando tudo que vejo pela frente e esse mês não podia ser diferente! #AmoAdoro haha
As imagens de hoje são das coisas que comprei nesta semana e outras aleatoriedades!

Camiseta com onomatopeia, lenço e bolsa de gato da Renner e Colete da Marisa


Perfume Nina Ricci - L'Eau 50ml e versão mini que veio de brinde♥

As surpresas que tirei no Kinder Ovo (comprei 10 caixas com 2 kinders em cada e não consegui tirar o Sulley :/!!)

A boneca da Boo♥ é a única que comprei a duas semanas atrás.

Blazer da Renner e cardigã (foto abaixo) da Marisa


Creeper da "Di Cristalli"♥

Pijama de botão (Xadrez) novo e Beethoven boladão porque não queria tirar foto hahaha♥

DVD'S novos e Copos/Baldes de pipoca da Disney de brinde♥
Comprando 2 DVD'S, 2 CD'S ou 1 Blu-ray da Disney você ganha um balde dos 4 modelos disponíveis! (O 4º dvd eu comprei pro meu irmão, o "A Dama e o Vagabundo 2")
Promoção válida na FNAC, Livraria Cultura, Lojas Americanas e Livraria Saraiva.

Do Instagram/susun2010: Trança embutida super fofa que fizeram em mim no trabalho e eu esnobando por causa do meu novo pijama (amo pijama de botão!!♥)

Emma Block illustrations

27 junho 2013


É uma ilustradora graduada em Barachel de Artes pela Middlesex University. Já teve um livro publicado em 2011 que chama-se "Tea and Cake (Chá com bolo*)" e acaba de terminar o seu segundo livro infantil. Gosta de lojas de caridade, chá e muitos lápis afiados!

O trabalho de Emma é inspirado pelas pessoas que encontra diariamente, fotos antigas, roupas vintage, viagens, ilustrações de 1950 e Jazz de 1930

Já trabalhou para clientes como Hardie Grant, Time Out, Woodmansterne, Hallmark, American Greetings e Moo, e também gosta de escrever e tem escrito para o The Guardian, The Young Creatives entre outros.
Site
Flickr




Needle Felt Animals by Fadeeva & Felting Dreams

26 junho 2013


Natasha Fadeeva e Johana Molina (Felting Dreams) são duas artesãs que fazem trabalhos em feltro, mas não qualquer trabalho: Fazem pequeninos animais em feltro que ficam a coisa mais fofa do mundo, todos vestidinhos e até se comportando como as pessoas, colocando o filhote para dormir e trabalhando!





Fadeeva
Felting Dreams

O Pequeno Rato Cinzento: A Fada Detestável (Cap.2) - Parte 1

24 junho 2013

(Primeiro capítulo e outros contos em: "Old French Fairy Tales")

Rosalie olhou ansiosamente A pequena casa estava escura, ela não conseguia ver nada, mas ouviu a pequena voz:

- "Obrigado, Rosalie, é a você que eu devo a minha libertação"

A voz parecia vir da terra. Ela olhou, e viu em um canto dois olhos brilhantes contemplando ela maliciosamente.

"Meu truque foi bem sucedido, Rosalie, e você foi traída em ceder à sua curiosidade. Se eu não tivesse falado e cantado você teria voltado com a chave e eu teria perdido. Agora que você já me pôs em liberdade, você e seu pai estão em meu poder."

Rosalie ainda não compreendeu plenamente a extensão do infortúnio que ela havia trazido por sua desobediência. Ela sabia, porém, que era um inimigo perigoso que seu pai tinha mantido em cativeiro e queria se retirar e fechar a porta.

"Pare, Rosalie! Ele não está mais em seu poder para me manter nesta odiosa prisão da qual eu nunca poderia ter escapado se tivesse esperado até o seu décimo quinto aniversário."

Neste momento, a pequena casa desapareceu totalmente, e Rosalie viu com o maior temor que a chave permaneceu em sua mão. Agora ela viu ao seu lado um pequeno rato cinza que olhou para ela com seus olhinhos brilhantes e começou a rir numa fina e desarmônica voz.

"Ha! ha! ha! Que ar assustado você tem, Rosalie! Na verdade você me diverte muito. Mas é uma sorte para mim que você tenha tanta curiosidade. Já se passaram quase quinze anos desde que eu estava trancada nesta prisão terrivel, sem poder ferir seu pai, a quem odeio, ou trazer algum mal a você, que é filha dele."

"Quem é você, então, rato perverso?"

"Eu sou um inimigo mortal de sua família, meu animal. Eu me chamo Fada Detestável e o nome combina comigo, lhe garanto. Todos me odeiam e eu odeio todo mundo. E vou lhe seguir para o resto de sua vida, onde quer que você vá."

"Vá embora de uma vez, criatura miserável! Um rato não é para ser temido e eu vou encontrar uma maneira de se livrar de você."

"Vamos ver, meu animal de estimação! Ficarei ao seu lado onde quer que você vá!"

Fez game

21 junho 2013


"A trama gira em torno de Gomez, um personagem bidimensional que vive em um mundo plano, 2D. Certo dia, Gomez encontra um misterioso cubo chamado "Hexahedron", que lhe dá um chapéu no qual lhe permite ver o mundo em três dimenssões. Assim que Gomez começa a explorar sua nova habilidade, os hexaedro de repente se divide em 32 pedaço e explode, fazendo com que o mundo ao seu redor comece a falhar e "reinicie". 
Depois do jogo se reiniciar, Gomez acorda e descobre que agora pode explorar o seu mundo em três dimensões. Em seguida, um hipercubo flutuante explica que ele deve recolher os fragmentos do Hexahedron, que foram espalhados por todo o mundo, antes que o mundo seja dilacerado."

Onde encontrar para PC: Clique Aqui (R$:16.99)
Idiomas: Inglês, Alemão, Francês, Italiano, Coreano, Espanhol, Chinês tradicional, Japonês, Português (PT-PT)
obs: verifique os "requisitos de sistema" antes de comprar.

Conheci "FEZ" através do filme "Indie Game", um documentário que mostra a rotina de alguns desenvolvedores de jogos independentes. O jogo foi criado por Phil Fish e lançado para Xbox no começo de 2012 e atualmente também se encontra disponível para PC pela Steam.


.Trailer:



1. Gomez é um personagem muito fofo!
2. Ganhei o jogo do meu irmão♥
3. Acabei o jogo em menos de 3 semanas! #doAmor
4. Fotos do meu Instagram

Attraction;

20 junho 2013


Uma história contada com sombras

Beethoven

19 junho 2013


Como havia contado no twitter, a muito tempo queria ter um cachorro mas as circunstancias não permitiam, até que eu consegui a oportunidade que queria e aproveitei. Busquei ele ontem, é um Shih-Tzu macho que não me deixou dormir a noite toda e ganhou o nome de Beethoven (à pedido do irmão)

("- Mamãe me faz dormir na cama dela, e é tudo cor-de-rosa, vishe" - Beethoven)

("-Mas aqui é tão bommz....z.....z.....Z.....Z")

O Pequeno Rato Cinzento: A pequena casa (Cap.1) - Parte 2

17 junho 2013

(Primeiro capítulo e outros contos em: "Old French Fairy Tales")

"O que pode estar escondido lá?" ela disse para si mesma. "Como meu pai ficou pálido quando pedi permissão para entrar! Tenho certeza que ele pensou que eu deveria estar em perigo. Mas por que ele vai lá todos os dias? É, sem dúvida, para levar comida para um animal feroz confinado lá. Mas se fosse um animal selvagem, eu não deveria ouvi-lo rugir ou se agitar na casa? Não, eu nunca ouvi qualquer som naquela cabine. Isto não pode ser uma besta. Além disso, se fosse um animal feroz, ele iria devorar meu pai quando ele entrou sozinho. Talvez, no entando, está acorrentado. Mas se ele realmente estiver acorrentado, então não haveria nenhum perigo para mim. O que pode ser? Um prisioneiro? Meu pai é bom, ele não iria privar um infeliz inocente da luz e da liberdade. Bom, eu absolutamente preciso descobrir este mistério. Como poderei controlar isto? Se eu pudesse secretamente pegar a chave do meu pai por meia hora! Talvez algum dia ele esqueça isto."
Rosalie foi despertada por uma cadeia de reflexões por seu pai, que a chamou com uma voz estranhamente agitada.

"Aqui, pai - Eu estou voltando."

Ela entrou em casa e olhou fixamente para o pai dela. Estava pálido, com o rosto triste e indicando grande agitação.

Mais curiosa que nunca, ela resolveu fingir alegria e indiferença, a fim de dissipar as suspeitas de seu pai para que ele se sentísse seguro. Desta forma, ela pensou que talvez poderia obter a chave, em algum momento futuro. Ele pode não pensar nisto sempre, se ela parecer ter esquecido disto.

Eles sentaram-se à mesa. Prudent comeu muito pouco e estava triste e silencioso, apesar de seus esforços em parecer feliz. Rosalie, no entanto, parecia tão impensada e brilhante que seu pai finalmente recuperou seu acostumado bom espírito.

Rosalie faria seus quinze anos em três semanas. Seu pai havia prometido uma agradável surpresa para este evento. Os dias passaram passificamente distantes. Restavam quinze dias antes do seu aniversário. Uma manhã, Prudent disse a Rosalie:

"Minha querida criança, sou obrigado a estar ausente durante uma hora. Devo sair para arranjar alguma coisa para o seu aniversário. Espere por mim em casa, minha querida. Não se leve pela curiosidade Em 15 dias você vai saber tudo o que você deseja saber, pois eu leio seus pensamentos e sei o que ocupa a sua mente. Adeus, minha filha, cuidado com a curiosidade!"

Prudent abraçou a filha com ternura e retirou-se, deixando-a com grande relutância.

Assim que ele ficou fora fe vista, Rosalie correu para o quarto de seu pai e para a sua alegria, ele havia deixado a chave esquecida em cima da mesa! Ela agarrou-a e correu rapidamente para o final do jardim. Chegou na pequena casa, lembrou-se das palavras de seu pai: "Cuidado com a curiosidade!" Ela hesitou, e foi ao ponto de voltar a chave sem olhar para a casa, quando ela pensou ter ouvido um leve gemido. Ela colocou o ouvido contra a porta e ouviu uma voz cantando um pouco baixinho:

"Um prisioneiro solitário, eu enfraqueço,
Sem esperanças de liberdade agora é minha;
Eu logo dou meu último suspiro,
e neste calabouço recebo minha morte."

"Sem dúvida", disse Rosalie para si mesma, "Esta é uma criatura infeliz que meu pai tem em cativeiro."

Tocou suavemente na porta, e disse: "Quem é você, e o que posso fazer por você?"

"Abra a porta, Rosalie! Eu rezo para que você abra a porta!"

"Mas por que você é um prisioneiro? você não cometeu algum crime?"

"Ai de mim! não, Rosalie. Um mago me mantém aqui como prisioneiro. Salva-me e eu irei provar minha gratidão contando a você realmente quem eu sou"

Rosalie não hesitou: sua curiosidade foi mais forte do que sua obediência. Ela colocou a chave na fechadura, mas a mão tremia tanto que não conseguia abrí-la. Ela estava prestes a desistir do esforço, quando a pequena voz continuou:

"Rosalie, o que tenho a lhe dizer vai lhe ensinar muitas coisas que lhe interessam. Seu pai não é o que parece ser."

Ao ouvir estas palavras Rosalie fez um último esforço, a chave girou e a porta se abriu.

The Odd Life of Timothy Green

15 junho 2013


"Cindy e Jim são um casal feliz e mal podem esperar para ter um bebê, mas depois de muitos exames descobrem que não podem ter filhos. No mesmo dia que lhes foi dado a notícia, o casal enterra em seu quintal uma caixa, contendo todos os desejos de como seria esta criança. Logo, em uma noite de tempestade surge Timothy, uma criança vinda do jardim e com pequenas folhas nas pernas."



Vi o dvd em uma loja outro dia e fiquei realmente curiosa, estava com pressa e não parei nem para ler a sinopse, mas aquela capa, "com aquelas meias verde e plantas saindo por elas" tinha me chamado tanto a atenção que guardei o nome do filme na memória facilmente "A Estranha Vida de Timothy Green".
Passei a semana em casa e aproveitei para assistir o filme: É encantador!
É um filme emocionante e muito bonito, "Timothy" mudava a vida das pessoas que encontrava apenas sendo ele mesmo, estando ali, sendo gracioso e com o pensamento de que "quer algo? no mínimo dê-se o trabalho de tentar".




Como conta a história de um garoto que veio do jardim, fizeram um filme não só voltado para mostrar a beleza da natureza como aproveitaram a mesma para fazer referência ao "tempo". Usando a passagem do verão para o Outono, e que a vida passa tão depressa quanto as folhas caem no Outono, por isso, cada minuto, cada gesto, cada momento tem que ser bem aproveitado com quem amamos.


"Joni Jerome: uma garota livre♥"